blank

Em 28 de dezembro de 2021, a Aditância de Defesa, Naval, do Exército e da Aeronáutica junto à Representação do Brasil na República Islâmica no Irã comemorou os 45 anos da presença da Aditância Militar no país.

O evento foi realizado nas instalações da Aditância Militar e contou com a presença do Chefe da Representação Diplomática do Brasil no Irã, Embaixador Laudemar Gonçalves de Aguiar Neto, do Ministro-Conselheiro Carlos Roberto Bevilaqua Penna, do Adido Militar no Irã, Coronel Nilson Viana Gramosa, do seu Adjunto, o Segundo-Tenente Alexsandro Alberto Maria, de integrantes do Corpo Diplomático da Embaixada, familiares e amigos convidados.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Durante a atividade, foi destacado que a Aditância Militar iniciou os trabalhos junto à respectiva Embaixada Brasileira no país em dezembro de 1976. O então Coronel Antônio Joaquim Soares Moreira foi designado como o primeiro Adido Militar brasileiro no Irã, permanecendo no cargo até janeiro de 1979, quando foi substituído pelo Coronel José Olavo de Castro. Desde então, a presença militar do Brasil no país tem sido mantida, de forma ininterrupta, por meios dos adidos militares e adjuntos que são substituídos a cada 2 anos.

Nesse período, a Aditância vivenciou efetivamente passagens históricas da República Islâmica do Irã, ou mesmo do entorno estratégico, como a Revolução Islâmica (1979), Guerra Irã-Iraque (1980-1988), terremoto na província de Gilan, com cerca de 40.000 mortes (1990), 1ª Guerra do Golfo (1990-1991), início das sanções comerciais (1995), terremoto na cidade iraniana de Bam, com aproximadamente 26.000 mortes (2003), 2ª Guerra do Golfo (2003), imposição de sanções pelo Conselho de Segurança da ONU (2006), implantação do  Plano Integrado de Ação Conjunta (Acordo Nuclear do Irã em 201-2016) e Pandemia da covid-19 (2020-2021),  dentre outros fatos relevantes.

Em momento tão significativo para a Aditância Militar brasileira em Teerã, foram realizados agradecimentos aos eternos adidos e adjuntos que, acompanhados de suas famílias, em região tão distante da terra natal e de hábitos e costumes extremamente peculiares, ajudaram a construir uma relação de cooperação e apoio mútuo com o Irã.

Nas palavras finais, o Adido Militar realizou um agradecimento especial à Embaixada do Brasil no Irã e a todos que nela serviram, pelo apoio incondicional e pela parceria que tem gerado cada vez mais significativos frutos para o Brasil.

Na ocasião, também foram feitas alusões ao Dia do Marinheiro, celebrado no dia 13 de dezembro, um balanço do ano de 2021 e os novos desafios para a Aditância de Defesa no Irã nos próximos anos.

Fonte: Aditância de Defesa, Naval, do Exército e Aeronáutica do Brasil no Irã