ABIMDE participa do V Seminário de Estudos do Poder Aeroespacial

Evento destacou o impacto da política de inovação da UNIFA

A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE) participou do V Seminário de Estudos do Poder Aeroespacial, nos dias 2 e 3 de maio, na Universidade da Força Aérea (UNIFA), no Rio de Janeiro.

Com o tema “Ciência, Inovação e o Futuro Desejado”, o evento promovido pela UNIFA reuniu docentes, instrutores, discentes e interessados na área, com o objetivo de explorar o impacto da política de inovação da organização militar como uma Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT).

Pessoas sentadas em banco de madeira Descrição gerada automaticamente com confiança média

O evento abordou questões relacionadas à inovação, incluindo definições do conceito, linhas de financiamento para projetos de pesquisa, alinhamento com os objetivos estratégicos das Forças Armadas e as capacidades necessárias para os profissionais do século XXI.

Além disso, a programação proporcionou espaço para discussões sobre as vantagens de ser uma ICT, as obrigações associadas a essa classificação, a transferência de tecnologia e a base industrial de defesa, bem como as políticas necessárias para implementar efetivamente a inovação no âmbito das Forças Armadas.

Entre as palestras previstas, destacaram-se temas como “O que é Inovação?”, “Sistema de Inovação da Aeronáutica (SINAER)”, “Propriedade Intelectual na Defesa” e “Inovação e o Futuro das Forças Armadas”.

O presidente-executivo da ABIMDE, general Aderico Mattioli, foi o primeiro palestrante da manhã de sexta-feira, dia 3, com a temática “Inovação e Regulação: Encontrando um Equilíbrio para o Progresso”.

Inicialmente, o general abordou tópicos relacionados à Base Industrial de Defesa e Segurança (BIDS), destacando a importância de autossuficiência em termos de capacidades operacionais nas áreas de defesa e segurança.

Ele disse que o Brasil está entre os 10 melhores do mundo em várias áreas e ressaltou a necessidade de desenvolvimento de mais capacidades tecnológicas e de inovação para alcançar independência tecnológica e produtiva.

O general Mattioli também destacou a importância de investimentos em pesquisa e desenvolvimento, transferência de tecnologia, além de buscar segurança jurídica e previsibilidade orçamentária para o desenvolvimento da base industrial de defesa.

Na sequência da palestra, o presidente-executivo da ABIMDE falou sobre a necessidade de superar barreiras e obstáculos, buscando a formação de talentos e a criação de uma inteligência estratégica e sobre a importância dos offsets, que podem impulsionar a inovação e o desenvolvimento tecnológico no país.

“É importante fortalecer o relacionamento entre governo, indústria e academia, visando a criação de um ambiente favorável para o desenvolvimento da base industrial de defesa”, ponderou.